domingo, 22 de julho de 2018

Apoio do exército na saúde


Exército apoia campanha de vacinação contra sarampo em Manaus

Publicado em 21/07/2018 - 11:40

Por Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil Brasília





O Exército está nas ruas de Manaus para ajudar na campanha de vacinação contra o sarampo neste fim de semana. O Comando Militar da Amazônia (CMA) informou que apoia a campanha no bairro Jorge Teixeira, escolhido por ser um dos mais populosos da capital, pela grande quantidade de ocorrências da doença e pelas dificuldades logísticas. Na última quarta-feira (18), traficantes impediram o acesso de agentes de saúde ao bairro.

Segundo o CMA, a solicitação de apoio ao Exército Brasileiro veio logo após o município decretar situação de emergência, no dia 3 deste mês, como consequência do surto de sarampo. “As equipes de divulgação realizarão atividades de panfletagem e de informação, reforçando as orientações à população sobre a vacinação contra o sarampo, e, também, indicando os postos mais próximos que estarão no aguardo para a imunização”, diz o comando.

Imunização

Segundo a Prefeitura de Manaus, hoje (21) e amanhã (22), equipes de imunização também percorrerão ruas da cidade, das 8h às 13h, realizando “varreduras” vacinais, ação da segunda etapa do Plano de Intensificação do Combate ao Sarampo.

O plano teve início na última segunda-feira (16) e prossegue nos finais de semana.

“Durante a semana, fazemos esse trabalho das 15h às 20h porque são maiores as chances de encontrarmos as pessoas em casa, já tendo voltado do trabalho. Sabemos que, para essas famílias, é mais difícil irem às unidades de saúde, razão pela qual estamos indo até elas para vacinar”, destacou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, em nota.

Segundo a prefeitura, o objetivo das varreduras é analisar a situação vacinal dos moradores dos três bairros considerados prioritários por registrarem a maior incidência de notificações e/ou confirmações de casos de sarampo na cidade: Jorge Teixeira, e Cidade Nova e Novo Aleixo.

A meta é que, até o fim do mês de agosto, as equipes tenham feito a avaliação da situação vacinal de 204.139 pessoas, em 110.198 imóveis, e a atualização da tríplice viral.

Segundo a prefeitura, o público-alvo são crianças a partir dos seis meses a adultos até 49 anos. Dados da Secretaria de Saúde municipal estimam que a população nessa faixa etária seja de 724.028 pessoas e que, aproximadamente, 40% ainda não tenha sido imunizadas contra o sarampo.

Neste final de semana, a vacinação gratuita ocorre das 8h às 17h. Quem portar a caderneta de vacinação, deve apresentá-la, mas os cidadãos que não tiverem o documento também serão imunizados, conforme as orientações da faixa etária disponibilizadas pelo Ministério da Saúde.

Balanço do ministério confirma 677 casos da doença, que é transmitida de forma similar à gripe, por vias respiratórias.

Saiba mais


Edição: Lílian Beraldo


sábado, 30 de junho de 2018

Não alérgico


UnB cria método para produção de látex hipoalergênico

Processo pode ser usado no fabricação de luvas, camisinhas e cateteres

Publicado em 30/06/2018 - 15:57

Por Helena Martins – Repórter da Agência Brasil Brasília




Pesquisadores do Instituto de Química da Universidade de Brasília (UnB) desenvolveram um método para produção de materiais hipoalergênicos de látex de borracha natural, que poderão ser utilizado na fabricação de camisinhas, luvas cirúrgicas, cateteres e outros itens. Além de não causar alergias, os produtos podem mais resistentes. O processo já foi patenteado.

O professor Floriano Pastore Júnior lidera a pesquisa no Instituto de Química da UnB - Reprodução/TV Brasil

O que os pesquisadores desenvolveram foi uma forma de inativar proteínas alergênicas no látex de borracha natural. “O látex é um meio biológico muito rico, temos lá mais de 200 tipos de proteínas diferentes nele. No entanto, 13 delas são alergênicas e podem fazer mal à saúde. Quando se trata de usar o cateter em posição de contato muito próximo da mucosa, se a pessoa for alérgica pode ter um choque anafilático e vir a óbito”, explicou o professor Floriano Pastore Júnior, que lidera a pesquisa no Instituto de Química da instituição.

Em experiências anteriores, as proteínas eram retiradas do látex para evitar a alergia. "Em vez disso, partimos para uma abordagem diferente, porque vimos que retirar as proteínas tirava a resistência dos filmes feitos com látex. Então, a forma encontrada para evitar esse efeito foi não retirar as proteínas e, sim, bloquear a ação delas, o que foi feito por meio da utilização de tanino. Feito a partir do chá da casca da acácia-negra, o tanino é usado no curtimento de pele animal, para transformá-la em couro. Nesse processo, o tanino passa a funcionar como escudo de proteção das proteínas, evitando ataques de bactéria, dando estabilidade e longevidade ao couro.

“Usamos a reação química do tanino com a proteína do couro para proteger as proteínas do látex. Essas proteínas permanecem com uma capa de tanino vegetal e não desenvolvem mais reações  alérgicas”, disse o professor.

Testes




Processo pode ser usado na fabricação de luvas, camisinhas e cateteres - Reprodução/TV Brasil


Testes feitos em Londres comprovaram que a resistência do látex não se perdeu no novo processo. Novas comprovações estão sendo realizadas em laboratórios do Brasil e de outros países, como nos Estados Unidos. Embora ainda não haja previsão de prazo para a adoção do método e seu uso pelo conjunto da sociedade, há expectativa de que isso ocorra. Assim, os materiais que venham a ser produzidos por meio do processo poderão ter maior resistência, o que é particularmente importante no caso das camisinhas, por exemplo, pois ampliará sua eficácia.

Em 1997, a Sociedade Americana de Anestesiologia (ASA) estimou que 8% da população em geral têm alergia ao látex. O número é bem maior, quando observados grupos que convivem cotidianamente com o material. Nesses grupos, estão incluídos pacientes com Spina bífida, que requerem múltiplas cirurgias e frequente cateterização vesical e os profissionais de saúde, como médicos, dentistas e enfermeiros. Neste caso, o percentual de incidência do problema chega a 20%.

Edição: Maria Claudia


sábado, 9 de junho de 2018

Sistema Eletrobras à venda!


Servidores da Eletrobras vão parar as atividades a partir de segunda

Publicado em 08/06/2018 - 17:22

Por Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro





Os trabalhadores do Sistema Eletrobras vão paralisar às atividades por três dias, a partir da próxima segunda-feira (11), em protesto contra a privatização da estatal. De acordo com a Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE), os serviços essenciais não serão afetados.

A paralisação terá início à 0h de segunda-feira e irá até a 0h de quarta-feira (13). A expectativa do Coletivo é que a adesão ao movimento seja feita pelos 24 mil funcionários do sistema Eletrobras.

Segundo a Federação Nacional dos Urbanitários, que reúne os servidores da Eletrobras, o movimento deve parar as áreas administrativas e atividades fins, como operação e manutenção de todas as empresas de geração, transmissão e distribuição de energia: Furnas, Chesf, Eletrosul, Eletronorte, Eletrobras e o Centro de Pesquisa de Energia Elétrica (Cepel), além das distribuidoras dos estados do Piauí, Rondônia, Roraima, Acre e Amazonas.

De acordo com o coordenador do CNE e diretor jurídico do Sindicato dos Urbanitários do Maranhão, Wellington Araújo Diniz, os serviços essenciais serão garantidos, sem prejuízo aos usuários, e, caso aconteça alguma ocorrência no sistema, os sindicatos acionarão as equipes de manutenção e urgência.

“Nossa greve é contra o processo de privatização da Eletrobras, que é uma tentativa de desmonte das empresas do sistema elétrico nacional. A empresa está sendo posta à venda por um preço vil para satisfazer interesses de grandes grupos financeiros nacionais e internacionais e de países como a China, Itália e França, que têm interesse em se apropriar do patrimônio estratégico que representam as empresas do sistema Eletrobras”, avaliou o dirigente sindical.

Procurada, a Eletrobras informou que ainda não tem posicionamento oficial sobre a paralisação dos servidores.

Na semana passada, o Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou a publicação do edital de privatização de seis distribuidoras de energia elétrica da Eletrobras. A intenção do governo é finalizar o processo até 31 de julho, mas uma decisão da 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro determinou a suspensão do processo. Segundo o governo, a privatização da Eletrobras vai elevar o nível de eficiência e trazer dinamismo à empresa.

Saiba mais


Edição: Sabrina Craide




quinta-feira, 31 de maio de 2018

Uma grande greve


Rodovias federais não têm mais pontos de concentração de caminhoneiros
PRF não faz, contudo, monitoramento de estradas estaduais
Publicado em 31/05/2018 - 12:46
Por Jonas Valente - Repórter da Agência Brasil Brasília





Atualização divulgada às 12h pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública diz que não há mais pontos de concentração de caminhoneiros em rodovias federais. As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que monitora a situação das estradas no país e os pontos de bloqueio e manifestações de caminhoneiros. No auge da crise, chegou a haver mais de 600 pontos de manifestação nas rodovias federais


Segundo a corporação, não há mais aglomeração de pessoas ou veículos perto de rodovias federais ou “qualquer anormalidade no fluxo de veículos”. Não há, contudo, acompanhamento de possíveis protestos em estradas estaduais.

No último balanço da situação das rodovias federais, divulgado às 11h, ainda existiam nove pontos de concentração. Destes, seis eram em Santa Catarina, dois no Rio Grande do Sul e um no Ceará.

Na atualização divulgada no início da manhã de hoje (31), o Ministério da Defesa ainda contabilizava 65 pontos de concentração de caminhoneiros.

Pelos cálculos do governo, no auge da crise, chegou a haver mais de 600 pontos de manifestação.

O acordo com entidades representativas dos caminhoneiros foi fechado no último domingo (27). Mas, ainda assim, caminhoneiros mantiveram protestos em diversos locais do país. Líderes de entidades, como a Associação Brasileira dos Caminhoneiros, e apurações feitas pelo governo apontaram a presença de infiltrados no movimento.
Edição: Nádia Franco


domingo, 13 de maio de 2018

Pará olhando para seu lado sul


Assinatura de convênios garante mais obras para o Sul e Sudeste
13/05/2018 09:51h





A agenda da Secretaria Extraordinária de Municípios Sustentáveis (Semsu) nas regiões Sul e Sudeste do Pará foi encerrada no sábado (12) nos municípios de Pau D’Arco, Rio Maria e Xinguara. Durante quatro dias, 10 municípios foram contemplados com reuniões para o fortalecimento da agenda compartilhada, assinatura de convênios e visita a obras executadas pelo governo do Estado.

“Foi uma jornada intensa, mas extremamente gratificante, porque a gente vê a agenda que foi programada com a gestão municipal acontecendo. A gente vem pra prática dos municípios”, destacou Izabela Jatene, secretária de Municípios Sustentáveis, ao explicar que as ações são construídas em parceria com os gestores municipais.

“Essa atitude dos municípios com o governo do Estado é muito importante. Encerro essa jornada extremamente grata e feliz por saber que é possível, compartilhando, garantir que as regiões se desenvolvam. O governador Simão Jatene sempre fala que a maior riqueza do nosso Pará é a sua gente. Então, é com os municípios que nós temos que trabalhar para alcançar o desenvolvimento que queremos para o nosso Estado”, reiterou Izabela Jatene.

O último dia de programação na região começou no município de Pau D’Arco, com a assinatura de convênio para reforma e ampliação da Escola Municipal Paulo Hannemann. O investimento totaliza R$ 2.812.850,10, sendo R$ 112.850,10 de contrapartida da Prefeitura. A cerimônia de assinatura ocorreu na quadra poliesportiva da Praça Maria Corrêa, diante da população.

Presença do Estado - Índios Kayapó fizeram uma cerimônia de boas-vindas aos visitantes, e as crianças do Centro Educacional apresentaram uma dança que remetia à lenda das sereias. Na ocasião, o prefeito de Pau D’Arco, Fredson Pereira da Silva, agradeceu mais um convênio firmado com o Estado. “A cada dia nós temos confirmado a presença forte do governo do Estado aqui. É um universo de quase R$ 10 milhões em investimentos em obras e serviços na nossa cidade, e só temos que agradecer ao governo do Estado, que tem sido um grande parceiro, um grande aliado”, afirmou o gestor municipal, destacando algumas obras e serviços, como a reforma e adequação do Hospital Municipal Antônio Pinheiro Cavalcante; a pavimentação de três quilômetros de vias pelo Programa Asfalto na Cidade; os programas CredCidadão e Cheque Moradia, e a inauguração da agência do Banco do Estado do Pará (Banpará).
Ainda em Pau D’Arco foi feita uma visita técnica às obras de reforma e ampliação da Escola Estadual Paulo Hannemann (homônima à do município), que está sendo completamente reformada. Com seis salas de aula e capacidade para 300 alunos, a escola recebe investimento de R$ 3.498.503,97, contemplando ainda obras de ampliação, para dotar a escolar de biblioteca e laboratórios de ciências e informática.

“Nossos alunos merecem esse investimento”, frisou a diretora da “Paulo Hannemann”, Maria Félix Guimarães, que está acompanhando todas as etapas da obra. A aluna do 3º ano, Natália Milhome, disse estar ansiosa para ver tudo pronto. “A gente espera que entreguem a escola no segundo semestre. Já estamos vendo que muita coisa está mudando”, declarou.

Comemoração - Rio Maria estava já estava em festa pelos 36 anos de emancipação política, comemorados em 13 de maio. Na feira coberta, espaço para grandes eventos, havia palco, praça de alimentação e espaços de entretenimento, e também para a cerimônia de assinatura de convênios entre o Governo do Pará e a Prefeitura.

O primeiro convênio prevê a reforma da Escola Municipal Adão Mendes, no valor de R$ 889.200,00. Outras duas unidades de ensino no município, a Escola Estadual Senador Catete Pinheiro e a Escola Estadual Aniceto Laranjeira, já têm convênios assinados para reforma e ampliação. O governo do Estado está investindo mais de R$ 9 milhões nas três obras.

A segunda assinatura foi do Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura e a Polícia Militar, para reforma do prédio do 84º Pelotão Destacado de Rio Maria/17º BPM. A obra dará mais comodidade aos policiais que trabalham no município. “Os policiais, principalmente os que trabalham no interior, passam mais tempo no quartel que na própria casa. Pra gente é uma satisfação imensa ter nosso batalhão reformado”, disse o comandante Regional da PM, coronel Paulo Pedra.

Um convênio no valor de R$ 1.087.450,43 vai garantir a pavimentação asfáltica em CBUQ de ruas e avenidas no Parque da Liberdade. O município já havia sido contemplado com o Programa Asfalto na Cidade (em andamento) e com recursos para a recuperação de vicinais, quase R$ 7 milhões em investimentos na melhoria de ruas e estradas.

O prefeito de Rio Maria, Francisco Paulo Barros Dias, disse que o dia foi de muita alegria para a população. “Hoje é motivo de muita satisfação em assinar vários convênios, que sacramentaram essa grande festa que fizemos”, ressaltou o prefeito, que também agradeceu por obras pactuadas anteriormente, como as reformas das escolas, pavimentação asfáltica e reforma do Hospital Municipal. “É bom ver o Estado aqui, trazendo recursos e fazendo parceria com a nossa gente”, acentuou.

Saúde e urbanização - O município de Xinguara também comemora os 36 anos de emancipação neste domingo (13). A celebração de convênios entre a Prefeitura e o Estado abriu as comemorações. Foi firmado convênio para a construção de uma clínica de fisioterapia, no valor de R$ 289.051,66. Também foi assinado convênio de R$ 357.204,96, destinado à iluminação do trecho urbano da Avenida Xingu. Serão instalados, também, uma rede subterrânea com cabos de cobre e cinco transformadores, para a iluminação do canteiro principal da avenida.

Segundo o prefeito de Xinguara, Osvaldo de Oliveira Assunção Júnior, as obras governamentais demonstram o interesse do Governo do Pará em contribuir efetivamente para o desenvolvimento dos municípios. “Xinguara está sendo beneficiado com esses convênios, que vão deixar a avenida mais bonita e ajudar muito a nossa comunidade, que precisa de uma clínica de fisioterapia. Quero agradecer ao governo pelo empenho em atender as demandas solicitadas”, disse o prefeito.

O senador Flexa Ribeiro e o secretário do Centro Regional de Governo da Região Sul do Pará, Jorge Bittencourt, participaram da programação ao lado do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, deputado Márcio Miranda, que destacou as ações nas regiões sul e sudeste do Pará. “A gente vê que o governo do Estado está investindo em áreas de fundamental importância, como escolas, hospitais, asfalto. Acreditamos que é fundamental, num momento de crise, socorrer as prefeituras que precisam. A Alepa tem sido parceira nesse trabalho, e vai continuar sendo", garantiu o parlamentar.
Por Dani Filgueiras